cropped-cropped-logo-omar-face-tv-1.png

Categoria:

Com referências nas culturas baiana e maranhense, EP “Transe” evidencia nova fase na carreira de Iuna Falcão

Marcado pela ancestralidade, primeiro álbum autoral da cantora foi gravado em São Paulo

Mulher negra, nascida e criada em meio a artistas, a cantora maranhense, que marca presença no cenário musical baiano, Iuna Falcão, apresenta uma nova fase da sua carreira com o lançamento do álbum “Transe”, seu primeiro trabalho autoral. A artista desenvolveu o projeto durante o mês de março, em São Paulo, onde esteve com seus músicos, diretores e produtores.

“Transe” é o nome de uma das composições que integram o EP autoral de Iuna. A música marca o processo intenso e emocionante de produção e gravação do trabalho. “Logo que terminamos de gravar o EP sentimos que essa música seria a principal faixa, foi uma escolha muito sensível”, comenta a cantora.

O trabalho conta com forte influência do movimento cultural baiano e maranhense. As faixas apresentam a versatilidade musical que Iuna tira da sua maior inspiração, a relação com as águas e o universo das energias da Bahia. Para ela, esse é um ponto que possibilita também a celebração da ancestralidade presente em todas as formas de energia, principalmente naquelas que habitam as águas.

Iuna Falcão mergulha sua arte também na cultura maranhense, onde nasceu e cresceu com a sua família de artistas. Com uma forte referência aos toques e cordas presentes na cena cultural do seu estado, as composições no álbum “Transe” retratam o nascimento de um rio. “Sabe aquela água que vai crescendo e tomando força até desaguar ou virar cachoeira? Pois é, eu faço correlação disso com o nascimento desse meu primeiro trabalho, pois foi chegando de forma sútil e, assim, crescendo e encontrando cada vez mais pessoas que compartilham desse mesmo sentimento”, acrescenta Iuna.

A artista descreve ainda que o álbum é resultado de um encontro de mentes. “Tive o prazer de trabalhar com um grande compositor, e agora amigo, chamado Lucas Cirillo. Nós temos linhas e pensamentos parecidos sobre como criar obras. Fluiu de forma natural o nosso encontro”, detalha a cantora.

As faixas que compõem o projeto são de criação conjunta, mas também será possível ouvir composições individuais de ambos os artistas. Iuna comenta que o percurso de criação foi calmo e fluente, mas também repleto de obstáculos. Desde a definição do tema que abarcaria todo o anseio por verbalizar as energias da água até “a longa busca por um produtor musical que entendesse as ideias e referências onde vivi essas dualidades”, explica a artista.

A ideia do álbum “Transe” é que os ouvintes se sintam levados por uma correnteza. Correnteza esta que abre caminho e direciona Iuna a novos horizontes.

Compartilhe na redes sociais

Artigos Relacionados