CDL Joinville apoia fiscalização de ambulantes irregulares

CDL Joinville apoia fiscalização de ambulantes irregulares

Durante a campanha eleitoral de 2019, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Joinville entregou a todos os candidatos a “Carta do Comércio”, onde apresentou as principais demandas e reivindicações dos associados. Entre as demandas, estava a fiscalização do comércio informal visando acabar com a atividade de ambulantes irregulares nas ruas centrais da cidade e também nos bairros.

Para a entidade, é preciso investir em ações para coibir o uso das calçadas para o comércio informal pois os vendedores ambulantes perturbam a circulação das pessoas, obstruem a visibilidade das vitrines, dificultam o acesso às lojas e estabelecem concorrência desleal com os pequenos comércios. Também representa prejuízos para a arrecadação de impostos do município. “Em agosto, quando foi deflagrada a Operação Nota fiscal, além de parabenizar os órgãos envolvidos, solicitamos que ações deste tipo continuem sendo realizadas para que os ambulantes não voltem a comercializar suas mercadorias, prática nociva ao comércio regularmente instalado, além de muitos venderem produtos falsificados e usarem equipamentos e mobiliário urbano como vitrine para seus produtos”, revela o presidente da CDL Joinville, José Manoel Ramos. Ele lembra que Joinville tem mais de 10 mil vagas de emprego abertas e, assim, a informalidade não se justifica.

CDL Joinville apoia fiscalização de ambulantes irregulares
CDL Joinville apoia fiscalização de ambulantes irregulares

Vale lembrar que, antes de a fiscalização começar, a Secretaria de Assistência Social orientou às pessoas que trabalham com comércio ambulante sobre como trabalhar de forma legal ou onde procurar emprego na cidade. Para exercer a atividade de ambulante é necessário fazer a solicitação na Unidade de Concessão e Permissões da SAMA e seguir as normas vigentes no Código de Posturas de Joinville (Lei Complementar nº 84/2000). Entre as punições estão autos de infração, apreensão de mercadorias e multa, que variam de 1 a 5 UPMs.

Fonte: Poliana Santos
Foto: Divulgação

Compartilhe na redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Artigos Relacionados

paty

Advogada previdenciária Patrícia Evangelista

           Advogada previdenciária Patrícia Evangelista analisa reformas previdenciárias realizadas pelos municípios brasileiros Os municípios brasileiros estão aprovando uma série de mudanças nas regras previdenciárias. As alterações

Leia mais »